Apneia do sono e saúde digitalmente conectada

Um número crescente de estudos demonstram que a saúde digitalmente conectada tem resultados. Maior conformidade, maior eficiência, maior qualidade de atendimento – aqui estão algumas das últimas investigações que fornecem evidências desses resultados.

Envolvimento do paciente utilizando a nova tecnologia para melhorar a adesão à terapia de pressão positiva nas vias respiratórias. Malhotra A, et al. CHEST 2017.

O estudo: Estudo de observação de mais de 128.000 pessoas com apneia do sono, cujos dispositivos permitem a monitorização remota da terapia por parte do seu médico ou pelos próprios pacientes através do myAirTM, uma aplicação da ResMed para web e iPhone® de envolvimento do paciente baseado no comportamento cognitivo.

 

Conclusões: No estudo de investigação apresentado no congresso do CHEST de 2016 da American College of Chest Physicians, a ResMed partilhou evidências de que as pessoas que utilizaram ferramentas de automonitorização online ao tratar a apneia do sono com pressão positiva nas vias respiratórias (PAP) têm uma probabilidade significativamente maior de continuarem a terapia.

 

  • Mais de 87% dos pacientes que utilizaram o myAirTM da ResMed e que foram monitorizados através do AirViewTM da ResMed continuaram a sua terapia durante mais de 90 dias.1
  • Os pacientes que não utilizaram o myAir mas que foram monitorizados através do AirView ainda melhoraram seus níveis de adesão: 70% ao invés de uma média estimada de 50% de adesão ao CPAP sem monitorização – avaliação inicial da literatura.1,2

“Este novo estudo demonstraque as ferramentas de automonitorização online envolvem os pacientes e melhoram significativamente o seu cumprimento e adesão ao tratamento. Embora o nosso estudo seja centrado nos utilizadores dos PAP, acreditamos que estes resultados podem ser generalizados de forma mais ampla relativamente à função que as ferramentas online podem ter na melhoria do cumprimento do tratamento médico em geral”

Adam Benjafield, Doutorado – Vice-presidente Clínico da ResMed

Dando ferramentas aos pacientes com apneia do sono. PwC, 2016

O estudo: Foram analisados dados anónimos de utilização diária de mais de 23.000 pacientes durante um período de 3 meses na Alemanha, Reino Unido e Irlanda sobre CPAP ou terapia de pressão positiva automática nas vias respiratórias (APAP) para apneia do sono². Os pacientes foram tratados por clínicas de sono e prestadores de cuidados domiciliários e todos foram monitorizados através de telemonitorização por um enfermeiro ou médico. Mais de 1.800 desses pacientes também estavam registados no programa de automonitorização digital myAir da ResMed

Conclusões: O estudo da PwC mostrou que pacientes que utilizam ferramentas de automonitorização online também utilizam os seus dispositivos durante mais tempo por noite.

  • Os pacientes que utilizam o myAirTM utilizam o seu dispositivo em média mais 46 minutos por noite em comparação com outros pacientes.2
  • A adesão média ao tratamento CPAP para novos pacientes na primeira semana de tratamento é de 76% para pacientes myAir em comparação com 71% para outros pacientes.3

“Nos últimos anos, a introdução da telemonitorização tem dado às clínicas de sono e aos prestadores de cuidados domiciliares uma ferramenta para intervir proativamente com vista a ajudar os pacientes que iniciam o tratamento CPAP. Com o myAir, a telemonitorização foi levada ao próximo nível e este estudo confirmou agora que os pacientes que o utilizam demonstram uma adesão e utilização significativamente maior e mensurávelmente melhor do que outros pacientes”.

Christian Käfling, da PwC

 

Um programa de telemonitorização para adesão ao tratamento CPAP reduz trabalho e produz adesão e eficácia semelhantes quando comparado ao tratamento padrão.

O estudo: Uma avaliação da eficácia e dos requisitos de trabalho de formação de um programa de mensagens de telemonitorização automatizado baseado na web, em comparação com os cuidados padrão em pacientes com AOS recém-diagnosticados.

Conclusões: Os programas de telemonitorização podem reduzir as necessidades de formação, mantendo a adesão.

  • A quantidade de formação necessária por paciente foi significativamente reduzida de 58,3 minutos para o grupo de atendimento padrão para 23,9 minutos para o grupo de telemonitorização dos pacientes. A maioria dos pacientes deste grupo afirmou que a nova abordagem correspondeu ou excedeu as suas expectativas.

Gestão proativa de pacientes baseado em telemonitorização durante a terapia com pressão positiva nas vias aéreas

Holger Woehrle, et al. Somnologie, janeiro de 2017,

Resultados da ResMed Germany Healthcare, um prestador de cuidados domiciliares alemão

O estudo: Dados de um grande prestador de cuidados domiciliares alemão foram utilizados para investigar o impacto de um programa proativo de gestão de pacientes apoiado pelo acesso remoto aos dados da terapia PAP no fim da terapia, em comparação com os cuidados normalizados. A estratégia proativa utilizou os dados do AirView. Os pacientes que receberam a sua primeira terapia PAP foram incluídos e analisados em pares com correspondência, com 3.401 pacientes incluídos em cada grupo.

 

Conclusões: Uma estratégia de gestão proativa baseada na telemonitorização , comparada com o tratamento padrão de pacientes PAP, foi associada a uma menor taxa de cancelamento da terapia a longo prazo.

 

  • No primeiro ano de terapia PAP, a taxa global de cancelamento da terapia foi significativamente mais baixa (5,4% vs 11,0%; p < 0,001) e o tempo de cancelamento da terapia foi significativamente mais longo (348 ∓ 58 vs 337 ∓ 76 dias; p < 0,05) no grupo de cuidados prativos versus normalizados.
  • A análise de risco proporcional Cox revelou um risco significativamente reduzido de cancelamento do PAP no grupo de cuidados proativos versus o grupo de cuidados padrão (relação de perigo 0,48; intervalo de confiança de 95% 0,4-0,57).
  • Os resultados foram consistentes nas subanálises de acordo com o sexo, tipo de dispositivo e estado do seguro, e em pacientes com idade ≥ 40 anos. No entanto, no subgrupo de pacientes com idade inferior a 40 anos, o risco de cancelamento do PAP foi semelhante nos grupos proativos e padrão.

Estudo descritivo retrospectivo de adesão ao tratamento CPAP associado ao uso do aplicativo ResMed myAir

O estudo: Um estudo descritivo retrospetivo da ResMed dos dados de utilização do myAir recolhidos a partir de 2.343 registos de pacientes não identificados.

Conclusões: O programa de automonitorização digital myAir da ResMed foi ligado a uma maior adesão ao CPAP.

  • Os investigadores descobriram que 83,9% dos novos utilizadores do CPAP que receberam cuidados padrão e utilizaram a aplicação myAir da ResMed conseguiram adesão à Medicare nos primeiros 90 dias de tratamento.
  • Igualmente impressionante, 75,4% dos utilizadores conseguiram uma adesão em 30 dias, com um tempo médio para atingir a adesão à Medicare de 23 dias.

Leitura adicional

  • Wozniak DR, et al. Intervenções educacionais de suporte e comportamentais para melhorar o uso de máquinas de pressão positiva contínua nas vias aéreas em adultos com apneia obstrutiva do sono. Publicação Co-Chrane, 2014.
  •  Konikkara J, et al. O reconhecimento precoce da apneia obstrutiva do sono em pacientes hospitalizados com exacerbação da DPOC está associado à redução da readmissão. Hospital Practice, 2016. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26691510/
  • Kuna ST, et al. O acesso baseado na web ao uso de pressão positiva nas vias aéreas com ou sem um incentivo financeiro inicial melhora o uso do tratamento em pacientes com apneia obstrutiva do sono. Sono, 2015

Referências:

*A terapia por ASV é contraindicada em pacientes com insuficiência cardíaca sintomática e crónica (NYHA 2-4) com fração de ejeção do ventrículo esquerdo reduzida (FEVE ≤ 45%) e apneia central do sono predominante moderada a grave.

    1. Crocker M et al. Patient Engagement Using New Technology to Improve Adherence to Positive Airway Pressure Therapy. Chest, 2016.
    2. Allen KY et al. The Clinician’s Guide to PAP Adherence. American Association for Respiratory Care, 2009.
    3. Price Waterhouse Coopers. Empowering the sleep apnoea patient: A study of how myAir users behave better. 2016.
[myAir]
[myAir]