Insuficiência respiratória em pacientes pediátricos

A ventilação não invasiva (VNI) tem sido utilizada para tratar distúrbios respiratórios do sono, dificuldade respiratória e insuficiência respiratória em adultos nos últimos 30 anos, e a sua utilização em pacientes pediátricos tem crescido nos últimos 10 anos.

Crianças em risco de DRS ou insuficiência respiratória

As crianças correm o risco de sofrerem de distúrbios respiratórios do sono (DRS), dificuldade ou insuficiência respiratória, se o seguinte se verificar:

 

  • Obstrução das vias respiratórias superiores (causada por hipertrofia dos adenoides e das amígdalas, palato alto e arqueado, laringomalácia e micrognatia)1
  • Obstrução ou restrição das vias respiratórias inferiores (causada por bronquiectasia ou escoliose)1
  • Tónus muscular fraco (frequentemente associado a condições congénitas, incluindo atrofias e distrofias musculares)1
  • Mau funcionamento do tronco cerebral (cérebro) e/ou sistema nervoso central (causado por síndrome de hipoventilação central congénita ou lesão na espinal medula)1
  • Se crianças pequenas contraírem uma doença infecciosa respiratória, correm também o risco de terem episódios agudos de dificuldade ou insuficiência respiratória, e podem necessitar de terapia de apoio respiratório durante esse período.

O tratamento para DRS, dificuldade e insuficiência respiratória em crianças pode variar entre a cirurgia, a ventilação não invasiva (VNI) e a ventilação invasiva (VI).

Referência:

  1.  Cheifetz IM. Ventilação mecânica pediátrica invasiva e não invasiva. Respir Care. Abr 2003; 48 (4): 442-58
[myAir]
[myAir]