Perguntas sobre utilização, limpeza e manutenção de dispositivos

Encontre as respostas para as perguntas que os seus pacientes lhe fazem frequentemente sobre a limpeza e manutenção de dispositivos, dicas para a utilização de dispositivos,
e soluções para as viagens.

Ajudar os pacientes a utilizarem um dispositivo terapêutico

  • Verifique se o dispositivo do seu paciente está ligado e se a máscara está devidamente ajustada. Se não tiver a certeza de como ajustar a máscara do seu paciente, a nossa página de Perguntas frequentes sobre o ajuste da máscara  podem ser úteis. Se o seu paciente tiver uma fuga elevada e o sistema de Smart Start/Stop (iniciar/parar inteligente) estiver ligado, é possível que o dispositivo pare automaticamente devido à fuga.
  • Verifique se a ficha de alimentação está completa e corretamente inserida no dispositivo. Quando estiver inserida corretamente, o botão de alimentação acender-se-á.
  • Certifique-se de que não há cobertores ou outros objetos a cobrir a unidade de alimentação ou o dispositivo.
  • Verifique se o filtro está desobstruído. Se tiver quaisquer obstruções, substitua o filtro.
  • Para dispositivos terapêuticos S9, verifique se a tampa do dispositivo terapêutico está devidamente fechada. Se o seu paciente estiver a utilizar um humidificador, certifique-se de que a tampa do humidificador também está fechada e que a câmara do humidificador está totalmente inserida.
  • Certifique-se de que o paciente não está a utilizar o botão Start/Stop (iniciar/parar) para acender o LCD durante a noite, pois isso irá parar a terapia.
  • Verifique se aparece uma mensagem no ecrã. Se aparecer, siga as instruções para limpar a mensagem.
  • Tente desligar o dispositivo e depois ligá-lo novamente.
  • De vez em quando, podem ocorrer perturbações de energia que façam com que o dispositivo se desligue. Peça ao seu paciente para verificar se outros dispositivos (por exemplo, o despertador) se desligaram ao mesmo tempo.
  • Se o seu paciente tiver instalado um dispositivo terapêutico AirSense 10 ou AirCurve 10 ativado, encontrará informações úteis na Assistência Remota do AirView para o ajudar a resolver o problema à distância.

Sugerimos que tente as seguintes soluções:

  • A utilização de um dispositivo de terapia PAP ou de outro dispositivo de terapia da apneia do sono pode, por vezes, levar à secagem e congestão da garganta, nariz e boca. Isto deve-se ao facto de o fluxo de ar gerado pela máquina ser muitas vezes superior ao do corpo do seu paciente, que está habituado a realizar a humidificação por si só. Os humidificadores e os tubos aquecidos podem aumentar a quantidade de humidade no ar que o seu paciente inspira, o que pode ajudar a reduzir esses sintomas e tornar a terapia mais confortável.
  • Descongestionante nasal. As alergias nasais e as congestões podem ocorrer em pacientes que respirem pela boca durante a noite. Isto seca a garganta e a boca e pode ter um impacto negativo na sua terapia da apneia do sono. Um descongestionante nasal ou um anti-histamínico poderia ajudar a aliviar este problema.
  • Apoio de queixo. Se o seu paciente ficar com o nariz e a boca secos durante o tratamento da apneia do sono, pode ser por dormir de boca aberta. Um apoio de queixo poderá resolver este problema mantendo a boca do seu paciente fechada durante toda a noite.
  • Máscara facial. As alergias nasais crónicas ou outros problemas nasais, como o desvio do septo nasal, podem dificultar a respiração através do nariz. As máscaras faciais, que garantem aos seus pacientes o tratamento, quer respirem pelo nariz ou pela boca, podem ser a resposta.

Algumas pessoas sentem inchaço quando utilizam um dispositivo PAP, particularmente quando se dá início ao primeiro tratamento. Se o seu paciente está a ter problemas relacionados com o inchaço, sugerimos que tente as seguintes soluções.

  • Evite engolir ar. Se a terapia da apneia do sono for algo recente, o seu paciente pode estar a engolir ar em vez de respirar normalmente. Engolir ar pode causar inchaço. O seu paciente deve tentar respirar da forma mais natural possível ao utilizar o dispositivo terapêutico.
  • Tente utilizar um dispositivo terapêutico APAP (pressão positiva automática das vias respiratórias) . Se as necessidades de pressão do seu paciente variam durante a noite, um dos dispositivos terapêuticos da ResMed AutoSet™ podem ser uma boa escolha. Estes dispositivos ajustam automaticamente a pressão durante toda a noite para se adaptarem aos padrões respiratórios únicos do seu paciente. Ao fornecer menos pressão quando o paciente necessita de menos pressão, uma máquina AutoSet pode ajudar a reduzir o inchaço.

Recomendamos que tente as seguintes soluções com o seu paciente:

  • A opção “Ramp” (aumento gradual). A funcionalidade “Ramp” foi criada para tornar a terapia mais confortável. Esta facilita a terapia ao aumentar a pressão do dispositivo gradualmente, colocando o dispositivo numa pressão mais baixa do que a prescrita e aumentando-a lentamente até chegar à pressão total terapêutica, ao longo de 45 minutos, no máximo. A utilização da funcionalidade “Ramp” significa que a máquina tem mais tempo para atingir a pressão terapêutica prescrita e o seu paciente tem mais tempo para adormecer confortavelmente. Com os dispositivos terapêuticos AirSense 10 da ResMed, recomendamos que utilize a funcionalidade “AutoRamp” que detetará automaticamente o momento em que o seu paciente adormece e aumentará a pressão a partir desse momento.
  • Um dispositivo de terapia APAP. Se as necessidades de pressão do seu paciente variam durante a noite, um dos dispositivos terapêuticos da ResMed AutoSet™ pode ser uma boa escolha. Estes dispositivos ajustam automaticamente a pressão durante toda a noite para se adequarem às necessidades respiratórias únicas do seu paciente.
  • A funcionalidade “EPR”. Os dispositivos terapêuticos da ResMed possuem uma funcionalidade, a “Expiratory Pressure Relief ” (Alívio de Pressão Expiratória), que diminui a pressão à medida que o seu paciente expira. Isto pode tornar a respiração mais natural e confortável.
  • Paciência: lembre o seu paciente que é preciso tempo para se habituar ao tratamento! A maioria das pessoas demora um pouco a sentir-se confortável ao utilizar uma máquina PAP e uma máscara todas as noites. Alguns pacientes descobrem que utilizar a máscara com o dispositivo terapêutico a funcionar durante o dia, por exemplo, enquanto vêem televisão, ajuda a habituação.

O modo “Power Save” (poupança de energia) foi concebido para reduzir o consumo de energia. Este pode ser ativado ao pressionar o botão “Start/Stop” (Iniciar/Parar) durante 3 segundos. Aconselhamos que se espere pelo menos 2 minutos após o final da terapia se o paciente ainda quiser desligar o dispositivo.

Se estiver a utilizar a telemonitorização para acompanhar os dados do seu paciente, o dispositivo tem de ficar ligado para que os dados possam ser enviados.

Como devem os pacientes limpar os humidificadores?

A manutenção e limpeza regulares irão manter o humidificador em bom estado de funcionamento e ajudarão os pacientes a desfrutarem de uma terapia mais limpa.

Cada manual do utilizador do humidificador contém instruções sobre como limpar cada tipo específico de dispositivo e os seus componentes. De forma geral, a câmara de água deve ser lavada todos os dias em água morna com um detergente neutro, depois enxaguada com água limpa e deixada a secar sem ser exposta à luz solar direta. A câmara de água deve ser inspecionada todos os meses quanto a desgaste e deterioração e substituída se algum componente estiver rachado, turvo ou perfurado.

Os pacientes não devem utilizar nenhum dos seguintes produtos para limpar os seus humidificadores, uma vez que estas soluções podem causar danos e reduzir a vida útil do produto:

  • Soluções à base de lixívia, cloro, álcool ou amoníaco;
  • Sabonetes hidratantes, antibacterianos ou à base de glicerina;
  • Amaciadores de água e descalcificadores não aprovados.

Para sua conveniência, aqui estão as instruções de limpeza para o humidificador aquecido da ResMed:

Todos os dias 

  1. Lave a tampa da câmara de água, a placa e a base desmontadas em água morna utilizando um detergente neutro.
  2. Enxague bem com água limpa e deixe secar longe da luz solar direta.

Todos os meses

  1. Retire a vedação da tampa e lave-a em água morna com um detergente neutro.
  2. Limpe o exterior do humidificador com um pano húmido e detergente neutro.

Tenha em atenção que a tampa da câmara de água, a placa e a base desmontadas também podem ser lavadas na máquina de lavar louça no ciclo delicado ou de vidro (apenas no cesto superior). Os depósitos de pó branco na câmara de água podem ser removidos com uma solução de uma parte de vinagre doméstico para 10 partes de água.

Consulte o manual do utilizador da tubagem para obter instruções detalhadas sobre a limpeza. De forma geral, os tubos de ar devem ser removidos todos os dias, ao puxar as pegas na manga. Pendure os tubos num local limpo e seco até à próxima utilização.

Tenha em mente que: Os tubos de ar não devem ser pendurados num local com exposição à luz solar direta, pois podem endurecer com o tempo e eventualmente rachar.

Os tubos de ar não devem ser lavados na máquina de lavar roupa ou na máquina de lavar louça.

Todas as semanas, os pacientes devem remover os tubos de ar do seu dispositivo terapêutico e da sua máscara, ao puxar as pegas na manga, e depois lavar os tubos de ar em água morna com detergente neutro. Devem enxaguar bem os tubos, pendurá-los num local limpo e seco e deixar secar. Devem voltar a ligar os tubos de ar à saída de ar e à máscara da próxima vez que utilizarem o dispositivo.

A ResMed recomendou e validou procedimentos para a limpeza e desinfeção de humidificadores aquecidos para utilização em laboratório, clínica ou hospital, consulte o nosso manual de desinfeção de humidificadores da ResMed para obter estas instruções.
No entanto, as etapas para a desinfeção variam regionalmente. Consequentemente, cada estabelecimento de saúde deve consultar os seus próprios procedimentos antes de realizar os que constam deste manual.

Dispositivos e cartões SD

Recomendamos a utilização de cartões SD (Secure Digital), que foram fornecidos pela ResMed, assim que estes estejam em conformidade com as normas legais de segurança.
A ResMed selecionou vários cartões SD em conformidade com os requisitos legais de segurança (por exemplo, a IEC 60601-1) e fornece-os com o dispositivo terapêutico ou como acessórios. Nem todos os cartões SD existentes no mercado estão em conformidade com os requisitos legais ou foram testados e validados para funcionarem com os dispositivos da ResMed.

Varia consoante o dispositivo de terapia do sono. Por exemplo, num dispositivo terapêutico S9, um cartão SD de 1 GB armazena facilmente 365 dias de dados de utilização, 30 dias de dados detalhados e sete dias de dados de alta resolução. Em qualquer aparelho terapêutico AirSense 10 ou AirCurve 10, é possível obter até 365 dias de dados de utilização e 30 dias de dados detalhados e de alta resolução.

Não. Esses cartões SD funcionariam com o dispositivo se fossem utilizados com um adaptador, mas falharam ao cumprir os requisitos de segurança do equipamento médico elétrico da norma IEC 60601-1 para este dispositivo terapêutico. Consequentemente, a ResMed não recomenda a sua utilização.

Não. Os cartões Secure Digital High Capacity (SDHC), assim como os cartões SDHC mini e micro e SDXC, não funcionam com nenhum dos dispositivos de terapia do sono da ResMed.

Nos dispositivos terapêuticos AirSense 10 e AirCurve 10 será necessário abrir a tampa do cartão SD para ter acesso ao cartão SD. Para retirar o cartão SD, precisa de empurrar o cartão SD para dentro para o soltar e depois puxá-lo para fora. Para inserir o cartão SD, empurre o cartão SD para dentro do dispositivo até que ele faça um clique. Recomendamos que insira o cartão SD quando o dispositivo estiver desligado. Também é possível inserir o cartão SD quando o dispositivo estiver ligado mas sem estar a fornecer terapia. Se for necessário retirar o cartão para verificar os dados, aguarde pelo menos dois minutos após a interrupção da terapia antes de retirar o cartão SD do dispositivo.

Em todos os dispositivos AirSense 10 e AirCurve 10 existe um LED perto da ranhura do Cartão SD que indica quando retirar ou não o Cartão SD. Quando o LED estiver a piscar, tem de esperar que o dispositivo tenha terminado de utilizar o Cartão SD. Poderá retirar o cartão SD com segurança assim que o LED deixar de piscar.

Viajar com dispositivos da ResMed

Sim. A ResMed oferece uma fonte de alimentação de 90 W que pode ser utilizada para ligar um dispositivo de terapia do sono da ResMed e o humidificador à rede elétrica. Se o seu paciente não precisar de um humidificador, a Fonte de Alimentação mais pequena e leve de 30 W pode ser mais conveniente e está disponível apenas para os dispositivos terapêuticos S9.

Estas fontes de alimentação podem ser ligadas a tomadas de parede com uma configuração de CA e não podem ser utilizadas com uma configuração de CC. Os pacientes que necessitam de alimentar o seu dispositivo de sono a partir da bateria do carro ou do barco ou semelhante, necessitarão do conversor para CC.

Sim. A ResMed disponibiliza um conversor para CC que os pacientes podem utilizar para alimentar os seus dispositivos de terapia do sono da ResMed a partir da bateria do carro ou do barco ou semelhante. Tenha em mente que os conversores para CC não devem ser utilizados com ventiladores.

Sim. Os nossos tubos SlimLine são dos tubos mais finos e flexíveis do mercado. São 40% mais leves, 20% mais finos e ocupam 35% menos espaço do que os tubos tradicionais, tornando-os ideais para viajar. O design ergonómico também facilita a movimentação dos pacientes enquanto dormem sem puxarem a máscara, de modo a que a máscara e a sua vedação permaneçam estáveis.

As bolsas de transporte AirMini, AirSense 10 e AirCurve 10 da ResMed são as companheiras de viagem ideais para os dispositivos de terapia do sono da ResMed. Esta bolsa resistente e cómoda protege o dispositivo terapêutico, o humidificador, os tubos e a máscara quando os pacientes estão em viagem. Possui também um compartimento para guardar elementos adicionais, como toalhetes de limpeza ou filtros de reposição.

As nossas bolsas de viagem são bem almofadadas, com fácil arrumação, proporcionando fácil transporte pelas pegas ou pela alça, de forma conveniente.

Nós disponibilizamos bolsas de viagem resistentes e personalizadas para os nossos ventiladores Astral e Stellar, e para outros acessórios associados. Todas as nossas bolsas se podem fixar a uma cama ou a uma cadeira de rodas, e oferecem acesso à interface do utilizador para que pacientes e prestadores de cuidados possam ver e ter acesso a alarmes e controlos sem terem de remover o dispositivo.
A bolsa de mobilidade Astral protege o ventilador de suporte de vida e os acessórios Astral do paciente durante a viagem. A bolsa de mobilidade é fácil de transportar à mão ou como mochila, graças às suas alças largas e confortáveis. A interface do utilizador é totalmente acessível quando o ventilador está dentro da bolsa e os sistemas de alarme da Astral funcionam dentro da bolsa de mobilidade numa gama de volume de 45-75 dBA (em cinco etapas) para maior segurança e paz de espírito.
A bolsa de mobilidade Stellar proporciona ao seu paciente a tranquilidade de uma proteção robusta e criada especialmente para resistir ao impactos, a poeiras e à água.

[myAir]
[myAir]