Terapia de alto fluxo domiciliar

A terapia nasal de alto fluxo consiste na humidificação ativa e aquecida do ar em altos fluxos, administrado através de um circuito respiratório aquecido e de cânula nasal.

A terapia de alto fluxo pode ser administrada de diferentes formas. Nesta página, referimo-nos exclusivamente à terapia nasal de alto fluxo.

Como Funciona?

A terapia de alto fluxo (high-flow therapy, HFT) foi concebida para ser administrada através de uma cânula nasal de alto fluxo (nasal high flow cannula, NHFC), que fornece uma mistura aquecida e humidificada de ar e oxigénio, com uma temperatura entre os 31 °C e os 37 °C. A terapia de alto fluxo domiciliar fornece taxas de fluxo que variam entre 10 L/min e 60 L/min. Se for adicionado oxigénio, a taxa de fluxo pode chegar aos 15 L/min e a configuração utilizada depende da necessidade do paciente.

 

Mecanismos de alto fluxo:

A terapia de alto fluxo pode melhorar a respiração através de diferentes efeitos no(a):

    • Transporte mucociliar e gestão de secreções1;
    • Dispneia durante exercícios de alta intensidade2-4;
    • Esforço de respiração 5.

 

A terapia de alto fluxo também está associada a vantagens para os pacientes, como por exemplo:

    • Melhoria do conforto e da qualidade de vida6,7;
    • Redução das exacerbações agudas da DPOC e das taxas de admissão hospitalar6,7.

 

Quem pode tirar partido da terapia de alto fluxo?

A terapia de alto fluxo poderia ser indicada para utilização domiciliar em pacientes que sofrem de DPOC e que são afetados por tosse crónica com produção de muco.1,6

 

Quando pode ser utilizada a terapia de alto fluxo?

A terapia de alto fluxo pode ser utilizada em casa durante o dia ou durante a noite. Os pacientes podem falar, comer e dormir enquanto fazem a terapia. Devido à água que se encontra dentro do humidificador aquecido, o dispositivo deve ser movimentado com cuidado. Os pacientes podem colocar o dispositivo de terapia numa superfície estável e continuar a desfrutar das atividades do dia-a-dia, como ler e ver televisão.

 

Porquê preferir a terapia alto fluxo a outras terapias disponíveis?

A terapia de alto fluxo não substitui a oxigenoterapia, mas ajuda os pacientes a melhorarem a gestão de secreções, além de proporcionar progressos positivos no que toca à respiração.1

 

Quais os componentes do dispositivo de terapia de alto fluxo?

Os principais componentes das unidades da terapia de alto fluxo (HFT) incluem: uma mistura de ar/oxigénio (com ou sem misturador), um gerador de fluxo, um aquecedor, um humidificador, um circuito aquecido (para evitar a condensação) e, no caso da terapia de alto fluxo nasal, uma cânula nasal suave e não oclusiva.

A terapia de alto fluxo permite administrar ar aquecido e humidificado, com ou sem oxigénio suplementar, a pacientes em contexto domiciliário, a um fluxo superior ao da OLD.6-8

A terapia de alto fluxo é adequada para um contexto de terapia domiciliar. Os dispositivos domiciliários não requerem uma fonte de oxigénio de alta pressão, a turbina que gera o fluxo de ar está no interior do dispositivo e o design facilita a sua utilização e prática pelo paciente em casa.

Algumas dispositivos de terapia de alto fluxo também permitem monitorização remota.

Perguntas frequentes sobre terapia de alto fluxo domiciliar

A terapia de alto fluxo pode ser configurada para ser administrada com ou sem oxigénio adicional, dependendo das necessidades do paciente. O oxigénio pode ser adicionado a taxas de fluxo de até 15 L/min.

Sim. Os sistemas de terapia de alto fluxo foram concebidos para a utilização no domicilio. Estes sistemas não requerem uma fonte de oxigénio de alta pressão, o ventilador está localizado no interior e o design facilita a operação e a prática pelo paciente em casa.

A terapia de alto fluxo domiciliar pode ser utilizada durante o dia e/ou durante a noite. As horas de utilização variam de acordo com as necessidades e situação clínica do paciente.

Os pacientes que sofrem de DPOC e que utilizam oxigénio, em particular, podem tirar partido do potencial desta terapia que melhora a mobilização de secreções, juntamente com outros efeitos da terapia de alto fluxo. Pode obter aqui mais detalhes.

Não, pode ser considerada como uma terapia complementar, dependendo da necessidade do paciente.

Geralmente não, pois não fornece ventilação ou assistência de pressão. No entanto, pode ajudar o grupo de pacientes hipercápnicos através da utilização nos períodos entre a terapia de VNI, acrescentando conforto adicional durante o tempo em que não se está a fazer a terapia de VNI.9

A terapia de alto fluxo não fornece ventilação ou assistência de pressão em pacientes com insuficiências do sistema respiratório. Saiba mais sobre a ventilação mecânica aqui e sobre opções de terapia para apneia obstrutiva do sono aqui.

A terapia de alto fluxo consiste num fluxo ajustável de 15-60 L/min e uma temperatura de 31-37 °C. Além disso, para conforto e gestão de condensação, o nível de humidificação pode ser ajustado.

Estudos científicos feitios até à data sugerem que os efeitos da terapia são visíveis a partir de >1-2 h de utilização.6,7 As vantagens da terapia são potenciadas com a utilização de terapia de alto fluxo durante o maior período de tempo possível.

Um outro ensaio clínico demonstrou que a sua utilização durante cerca de 6 horas, a maioria destas durante a noite, é adequada.6

Sim, a terapia de alto fluxo pode ser utilizada enquanto um paciente está a dormir e enquanto está acordado.

Sim. Os fluxos e a humidificação têm um efeito de pico de fluxo inspiratório positivo e o oxigénio é fornecido de forma mais eficaz, o que é importante durante o exercício.3 Isto melhora a dispneia durante o exercício.2-4 Devido à água que se encontra dentro do humidificador aquecido, o dispositivo deve ser movimentado com cuidado durante o exercício.8

Os níveis de ruído vão depender do dispositivo e do fluxo.

A humidificação desempenha um papel importante no condicionamento dos gases, uma vez que o oxigénio é muito frio e seco. ​

Foto não contratual da cânula nasal *Use apenas cânulas nasais recomendadas pela ResMed.

 

Referências:

1. Hasani A, et al. Humidificação em contexto domiciliar melhora a depuração mucociliar pulmonar em pacientes com bronquiectasia. Chron Respir Dis 2008; 5: 81-86.

2. Cirio S, Piran M, Vitacca M, Piaggi G, Ceriana P, Prazzoli M, et al. Efeitos de gases de alto fluxo aquecidos e humidificados durante o exercício com carga constante de alta intensidade em pacientes com DPOC grave com limitação ventilatória. Respiratory Medicine 2016; 118: 128–32.

3. Neunhäuserer D, Steidle-Kloc E, Weiss G, Kaiser B, Niederseer D, Hartl S, et al. Oxigénio suplementar durante o treino físico de alta intensidade em doença pulmonar obstrutiva crónica não hipoxémica. American Journal of Medicine 2016; 129 (11): 1185–1193.

4. Chatila W, Nugent T, Vance G, Gaughan J, Criner GJ. Os efeitos de alto fluxo vs oxigénio de baixo fluxo no exercício na doença obstrutiva avançada das vias aéreas Doença. Chest 2004; 126 (4): 1108–15.

5. Fraser JF, et al. A oxigenoterapia nasal de alto fluxo em pacientes com DPOC reduz a frequência respiratória e o dióxido de carbono no tecido, enquanto aumenta os volumes pulmonares expiratórios e correntes: um estudo cruzado randomizado Thorax 2016; 71: 759-761.

6. Storgaard LH, et al. Efeitos de longo prazo do tratamento com cânula nasal de alto fluxo enriquecida com oxigénio em pacientes com DPOC com insuficiência respiratória hipoxémica crónica. Int J Chron Obstruct Pulmon Dis 2018; 13: 1195-1205.

7. Rea H, et al. A utilidade clínica da terapia de humidificação a longo prazo na doença crónica das vias aéreas. Respir Med 2010; 104: 525-533.

8. Nagata K, Kikuchi T, Horie T, Shiraki A, Kitajima T, Kadowaki T, et al. Terapia de oxigénio com cânula nasal de alto fluxo domiciliar para pacientes com DPOC hipercápnica estável: Um ensaio cruzado multicêntrico randomizado. Anais da American Thoracic Society. 2017

9. Spoletini G, Mega C, Pisani L, Alotaibi M, Khoja A, Price LL, Blasi F, Nava S, Hill NS. Terapia nasal de alto fluxo vs oxigénio padrão nas interrupções de ventilação não invasiva para insuficiência respiratória aguda: um estudo piloto randomizado controlado. J Crit Care. 2018 Dez; 48: 418-425. doi: 10.1016 / j.jcrc.2018.10.004. Epub, 5 de Out de 2018. PMID: 30321833.

[myAir]
[myAir]